A qualidade de vida em Israel

Qualidade de vida em Israel

Este é um tema que desperta a curiosidade de muitas pessoas, especialmente dos brasileiros que pensam em imigrar para o país. Israel é um país que se destaca por sua inovação tecnológica, seu sistema de saúde avançado e sua educação de qualidade. Mas como é realmente viver lá e qual a qualidade de vida em Israel? Quais são os desafios e as oportunidades que o país oferece? Neste artigo, vamos explorar alguns aspectos da qualidade de vida em Israel, baseados em dados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e em relatos de brasileiros que moram lá.

Qualidade de vida em Israel: um país de contrastes

Israel é um país pequeno, mas com uma grande diversidade de paisagens, culturas e religiões. Com cerca de 8,4 milhões de habitantes, Israel é o lar de judeus, árabes, cristãos, muçulmanos, drusos, beduínos e outros grupos étnicos e religiosos. Cada um desses grupos tem sua própria história, tradições e costumes, que contribuem para a riqueza e a complexidade da sociedade israelense.

Renda e emprego

Um dos fatores que influenciam a qualidade de vida é a renda, que permite o acesso a bens e serviços essenciais. Em Israel, a renda média doméstica disponível líquida ajustada per capita é inferior à média da OCDE, de US$ 30.490 por ano. Isso significa que os israelenses ganham menos do que os habitantes de países como Estados Unidos, Alemanha ou França. No entanto, isso não significa que eles vivam pior, pois há outros fatores que compensam essa diferença, como veremos adiante.

Outro fator importante é o emprego, que além de gerar renda, também proporciona satisfação pessoal e social. Em Israel, aproximadamente 67% das pessoas com idades entre 15 a 64 anos têm emprego remunerado, acima da média da OCDE de 66%. A taxa de desemprego é de 4,3%, uma das mais baixas do mundo. Além disso, Israel é um país que se destaca por sua inovação tecnológica, sendo o líder mundial em pesquisa e desenvolvimento. A quantidade de start-ups em Tel-Aviv é apenas a segunda depois da Silicon Valley, na Califórnia. Isso significa que há muitas oportunidades para quem tem qualificação e criatividade.

No entanto, nem tudo são flores no mercado de trabalho israelense. Há uma grande desigualdade entre os diferentes grupos sociais, especialmente entre judeus e árabes. A população árabe em Israel consta baixo desempenho em todos os índices de qualidade de vida, devido às altas taxas de pobreza, baixa participação no mercado de trabalho, níveis de educação e saúde baixos. Além disso, há uma diferença salarial entre homens e mulheres, sendo que as mulheres ganham em média 32% menos do que os homens. Outro problema é a carga horária excessiva, pois 14% dos empregados trabalham durante horas muito longas de trabalho remunerado, o que pode afetar a saúde e o bem-estar.

Educação

A educação é outro aspecto fundamental para a qualidade de vida, pois permite o desenvolvimento pessoal e profissional. Em Israel, 88% dos adultos com idades entre 25 e 64 anos concluíram o ensino médio, acima da média da OCDE, de 79%. Isso se aplica mais às mulheres do que aos homens, pois 87% dos homens concluíram o ensino médio, comparado a 89% das mulheres. Em termos da qualidade do sistema educacional, o aluno médio obteve pontuação de 465 no domínio de leitura, matemática e ciências no Programa Avaliação de Estudante Internacional (PISA) da OCDE, abaixo da média da OCDE, de 488. Em média, em Israel, as meninas superaram o desempenho dos meninos em 26 pontos, uma diferença muito superior à diferença média da OCDE, de 5 pontos.

Saúde

A saúde é outro fator essencial para a qualidade de vida, pois afeta diretamente a longevidade e a felicidade. Em Israel, a expectativa de vida no nascimento é de 83 anos, dois anos a mais do que a média da OCDE, de 81 anos. A expectativa de vida das mulheres é de 85 anos, comparada a 81 anos para os homens. O nível de satisfação com a saúde é de 80%, acima da média da OCDE, de 69%. Isso se deve ao fato de que Israel tem um sistema de saúde universal e de alta qualidade, que oferece cobertura para todos os cidadãos, independentemente de sua renda ou origem. O país também é um dos líderes mundiais em pesquisa médica e em desenvolvimento de vacinas, como ficou evidente durante a pandemia da Covid-19.

No entanto, há também alguns desafios na área da saúde em Israel. Um deles é a qualidade do meio ambiente, que afeta a saúde respiratória e cardiovascular. O nível de PM2,5 atmosféricas – minúsculas partículas de poluentes do ar pequenas o suficiente para entrar e causar danos aos pulmões – é de 19,7 microgramas por metro cúbico, acima da média da OCDE de 14 microgramas por metro cúbico, e um dos níveis mais elevados na OCDE. Israel também poderia apresentar desempenho melhor em termos de qualidade da água, pois somente 77% das pessoas declaram estar satisfeitas com a qualidade de sua água, inferior à média da OCDE, de 84%.

Conexões sociais e satisfação com a vida

A qualidade de vida não depende apenas de fatores materiais, mas também de fatores subjetivos, como as conexões sociais e a satisfação com a vida. Nesses aspectos, Israel apresenta um desempenho acima da média da OCDE. No que diz respeito à esfera pública, há um forte senso comunitário e moderados níveis de participação cívica em Israel, onde 95% das pessoas acreditam conhecer alguém com quem poderiam contar em um momento de necessidade, acima da média da OCDE de 91%. A taxa de participação eleitoral é de 72%, acima da média da OCDE de 68%. Além disso, há uma grande diversidade cultural e religiosa no país, que enriquece a vida social e cultural.

No que diz respeito à esfera privada, os israelenses são pessoas felizes e otimistas. O nível de satisfação com a vida é de 7,2 em uma escala de 0 a 10, acima da média da OCDE de 6,5. Isso se deve ao fato de que os israelenses valorizam muito a família, os amigos e a fé. Apesar dos conflitos políticos e militares que o país enfrenta, os israelenses têm uma forte resiliência e uma capacidade de se adaptar às mudanças. Eles também têm um senso de humor e uma paixão pela vida que os ajudam a superar as dificuldades.

Múltiplos fatores

A qualidade de vida em Israel é um tema complexo e multifacetado, que não pode ser reduzido a um único indicador ou medida. Há aspectos positivos e negativos, oportunidades e desafios, que variam conforme o grupo social, a região e o momento histórico. No entanto, podemos afirmar que Israel é um país que oferece uma boa qualidade de vida para seus habitantes, especialmente se comparado a outros países do Oriente Médio ou do mundo em desenvolvimento. Israel é um país que se destaca por sua inovação tecnológica, seu sistema de saúde avançado e sua educação de qualidade. Além disso, é um país que tem uma grande diversidade cultural e religiosa, um forte senso comunitário e um alto nível de satisfação com a vida.

Desafios para os brasileiros

Para os brasileiros que pensam em imigrar para Israel, há muitas vantagens e benefícios, mas também há alguns desafios e dificuldades. É preciso estar preparado para enfrentar uma cultura diferente, uma língua nova, um clima árido e uma situação política instável. É preciso também ter qualificação profissional e disposição para trabalhar duro. Por outro lado, há também muitas oportunidades para crescer pessoal e profissionalmente, para conhecer novas pessoas e lugares, para aprender novas coisas e para viver novas experiências.

A qualidade de vida em Israel depende muito do ponto de vista e das expectativas de cada um. O importante é estar aberto às mudanças e aproveitar as oportunidades que o país que o país oferece. No entanto, é preciso estar ciente de que a qualidade de vida em Israel não é a mesma para todos os seus habitantes, e que há uma grande desigualdade entre os diferentes grupos sociais, especialmente entre judeus e árabes. É preciso também respeitar a diversidade cultural e religiosa do país, e conviver pacificamente com as diferentes opiniões e visões de mundo.

Enfim… a qualidade de vida em Israel é um reflexo da sua história, da sua cultura e da sua identidade. É um país que enfrenta muitos desafios, mas que também tem muitos motivos para se orgulhar. É um país que vale a pena conhecer, visitar e viver. Esperamos que este artigo tenha sido útil e interessante para você.

Leia também: A prosperidade financeira dos judeus

Desenvolvido com o auxílio de Bing AI.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

six + nine =

Scroll to Top